Habitacional ocupará parte da área de antigo aeroclube no Pina

Habitacional ocupará parte da área de antigo aeroclube no Pina 1

Em aproximadamente 24 meses, ocupantes de palafitas e outras moradias em situação precária na região do Pina, Zona Sul do Recife, estarão morando no Conjunto Habitacional Encanta Moça. As obras do projeto, que será erguido em uma parte do terreno do antigo Aeroclube de Pernambuco, no mesmo bairro, tiveram início nesta segunda-feira (14), com a limpeza da área. Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Habitação do Recife, 600 famílias serão beneficiadas.

O projeto, cujo investimento é de R$ 49,2 milhões, será executado por meio do programa Minha Casa Minha Vida, em parceria entre a Prefeitura do Recife e a Caixa Econômica Federal. “Nossa prioridade foi atuar junto à população da localidade que vive em condição de extrema pobreza, retirando as palafitas e dando a oportunidade de viverem com dignidade”, explicou o secretário de Infraestrutura e Habitação do Recife, Roberto Gusmão.

As 600 unidades habitacionais devem ser divididas em 16 blocos, com estrutura de piso térreo e quatro pavimentos. Cada apartamento terá entre 45 e 47 metros quadrados e contará com sala, banheiro, cozinha e dois quartos. A estrutura do habitacional disporá também de área de lazer com praça, playground e quadra, além de bicicletário, estacionamento para carros e motocicletas, centro social e estação elevatória.

 

Reivindicação histórica

A iniciativa substitui uma antiga solução habitacional proposta para o Pina, que previa construção de 106 unidades em quatro prédios. A construção de um habitacional era reivindicação histórica dos moradores da região. “Estamos pagando aluguel, morando de favor na casa de parentes. Estou há 14 anos vivendo na casa de meus familiares”, contou Tânia Maria, residente da comunidade do Bode, durante protesto por moradia que percorreu o Pina, em novembro de 2017. No mesmo ano, um plebiscito simbólico realizado entre moradores do bairro apontou a construção de um habitacional como o melhor destino para o terreno do antigo Aeroclube. Foram mais de cinco mil votos. Desses, 3.427 definiram moradia como prioridade (67%); 384 votos foram para a construção de um parque (7%); 1.268 optaram pelas duas alternativas (24%); 12 votaram nulo (0,24%) e dois em branco (0,04%).

O terreno foi desapropriado em 2013 para construção da Via Mangue. O conjunto habitacional ocupará uma área de aproximadamente 30 mil metros quadrados, o que corresponde a aproximadamente 16,5% do terreno do antigo Aeroclube. De acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Habitação do Recife, o espaço restante é alvo de estudos para melhor uso, incluindo área de lazer e equipamentos públicos.

Related posts